Antes de se tornar um campeão nas piscinas olímpicas, Dan esteve completamente submerso na dependência de drogas: chegou a viver como morador de rua e acabou se envolvendo com a criminalidade.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

3370942634-dan-smith

Dan Smith foi um garoto prodígio nas piscinas, quando criança, mas acabou se envolvendo com o alcoolismo e drogas posteriormente. (Foto: CourierMail)

O nadador australiano Dan Smith, que competiu nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e ficou em quarto lugar no revezamento 4x200m livre, tem vitórias para relatar que vão além das raias dos torneios mundiais. Seu testemunho de libertação das drogas é impactante e também uma prova do poder de Deus para o resgate de alguém que se via completamente sem esperanças para continuar a viver.

Antes de se tornar um campeão nas piscinas olímpicas, Dan esteve completamente submerso na dependência de drogas: chegou a viver como morador de rua e acabou se envolvendo com a criminalidade.

Apesar do resultado ‘decepcionante’ que deixou Smith e sua equipe em quarto lugar na final do revezamento 4x200m livre, nos Jogos Olímpicos do Rio, Smith tem declarado que a fonte de sua motivação está em Cristo.

“Ele me ensinou muito: a ser grato e a apreciar a oportunidade de estar aqui. Eu estou vivo, estou saudável, em forma, estou vivendo uma vida boa. Então, isso é o que o Senhor realmente tem feito em mim”, disse ele ao site internacional ‘Passion for Sport’ (‘Paixão pelo Esporte’).

O retorno do atleta de 25 anos às piscinas tem sido chamado de “conto de fadas às avessas”. Depois de se tornar um nadador de sucesso, quando criança, Smith acabou se afundando no vício do álcool, quando chegou à adolescência. Isto resultou em um acidente por dirigir embriagado com 18 anos, apenas quatro semanas depois de ganhar seu primeiro título do Torneio Aberto da Austrália.

“Todo esse tipo de coisa que o mundo joga em você… Achei que aquela era a resposta para a vida”, disse ele. “Eu estava lá em cima com os melhores melhores atletas da Austrália. Eu era rápido e eu estava começando a nadar bem, mas minha vida pessoal simplesmente tirou o melhor de mim”.

O atleta conta que “não soube como lidar com toda a vergonha e culpa” de seu acidente, e disse que, na época, era “um menino muito vazio, perdido e quebrado”.

“Eu tinha acessos de raiva, ansiedade e todo esse tipo de coisa. Eu odiava ser o centro das atenções. Então, para mim, a ‘melhor’ maneira de lidar com isso era fumando maconha e bebendo ainda mais”, contou.

“A vida realmente me tirou o chão. Pensei que estava bem… Era só usar um pouco de drogas aqui e tudo estaria bem, mas isto literalmente destruiu a minha vida”.

Dan Smith e seus amigos ficaram em quarto lugar, nos jogos olímpicos do Rio. (Foto: Reuters)

Smith estava se viciando em metanfetamina, conhecida coloquialmente como ‘gelo’. A primeira vez que ele tentou usá-la, um homem lhe disse que ele iria perder tudo dentro de três meses.

“Dentro de um mês, não estou brincando, eu tinha perdido absolutamente tudo”, contou ele, confirmando a veracidade do alerta que lhe havia sido dado.

Smith acabou se envolvendo com a criminalidade para sustentar seu vício e passou a morar nas ruas, depois que sua família o expulsou de casa.

“Eu realmente destruí a minha família”, disse ele. “Eu vi a dor que eu fiz eles sentirem. Você pode imaginar como seria assistir ao filho que você ama tanto, que um dia foi campeão australiano, que deveria estar nos Jogos Olímpicos, vivendo agora nas ruas como um viciado em metanfetamina?”.

Posteriormente, Dan descobriu que estava com alguns problemas de saúde e veio tentar o suicídio por diversas vezes. Mas ele credita sua fé em Deus, que o resgatou daquela situação crítica.

“Eu sou cristão, eu acredito, porque eu tive literalmente mais vidas agora do que um gato. Eu já enfrentei um inferno no passado, mas a mão de Deus simplesmente esteve sobre a minha vida o tempo todo. Eu não posso negá-lo mais”, disse ele.

“Eu sempre extrapolei os limites e outras coisas, mas eu sou uma nova pessoa agora e foi isso que o Senhor fez na minha vida. Ele me fez uma nova pessoa e eu sou extremamente grato pelo o que ele fez em mim”.

Smith acrescentou que ele “costumava viver em crise”, mas ele encontrou a paz com Deus. Hoje, o atleta reconhece que seu vício em drogas foi uma tentativa de “preencher o vazio”, que hoje é ocupado por Jesus. “Ele me encheu de dentro para fora”, contou.

Mas a maior mudança, segundo Dan Smith, é que Deus tem realmente trabalhado seu caráter.

“Quando me tornei cristão, voltei para o esporte. Eu me sentia como: ‘Jesus andou sobre as águas… Eu sou sobrenatural agora, eu posso fazer qualquer coisa’. Mas para mim, a natação não aconteceu assim. Eu tive que realmente trabalhar o meu caráter e entender que conquistar medalhas de ouro e todo esse tipo de coisa não define quem você é. A natação é apenas o que eu faço e, para mim, levou um longo tempo até eu compreender esta revelação”, contou.

“A natação não é quem eu sou, mas apenas o que eu faço. Eu sou um vaso do Espírito Santo, Deus me ama. Também levei tempo para realmente perceber que Deus não precisa de medalhas de ouro e outras coisas. Ele se preocupa mais com o meu caráter e o que está no interior”.

Olhando para o futuro, em Tóquio, no ano de 2020, Smith se mostrou otimista.

“Com o Senhor, eu acho que o céu é o limite com relação à minha jornada olímpica e minha natação”, disse ele. “Eu estou mais orientado do que nunca, mais focado, e eu estou realmente animado sobre o meu futuro agora”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.