No “Dia Internacional da Amizade” devemos reforçar a ideia de que somente o amor de Cristo poderá conquistar os corações dos muçulmanos

4569942

“Talvez possamos apresentar Jesus com nossas palavras, mas antes devemos fazê-lo com nossas atitudes”, disse o irmão André, numa ocasião em que refletia sobre a situação dos muçulmanos na Europa. O fundador da Portas Abertas, há 61 anos, iniciou esse trabalho de alcançar os países onde os cristãos enfrentam a perseguição, para ensiná-los a superar a inimizade com a comunidade muçulmana, amando-os como Cristo os amaria. E isso tem dado muito certo. Todos os dias, lemos relatos e testemunhos de muçulmanos que se convertem ao cristianismo porque ouviram falar de um Salvador que os ama, incondicionalmente.

A Bíblia nos ensina que Deus recebe a todos de igual forma. “Não há diferença entre judeus e gentios, pois o mesmo Senhor é Senhor de todos e abençoa ricamente todos os que o invocam,
porque ‘todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo’”. (Rm 10.12-13). No mesmo capítulo também explica que é necessário que haja voluntários para anunciar o amor de Deus em todos os cantos da terra. “Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão, se não houver quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Como são belos os pés dos que anunciam boas novas!” (Rm 10.14-15)

E estes que anunciam as boas novas do Senhor são aqueles que se aproximam dos muçulmanos, criando laços de amizade onde parecia impossível, alcançando os corações dos que pareciam inalcançáveis. E como nós agimos? Diante de tantas más notícias, das cenas de guerra que são expostas na TV, das imagens estampadas nas primeiras páginas dos jornais, onde o Estado Islâmico parece querer dominar o mundo através do islã radical. Qual a nossa reação ao ver um muçulmano de frente? Devemos fazer como o irmão André que, ainda hoje, com seus quase 90 anos, ainda se esforça para impactar os muçulmanos com o amor cristão. Um dia ele disse: “Temos que pedir perdão a eles por não amá-los o suficiente. Devemos estar dispostos a morrer para que eles recebam vida. Foi isso o que Jesus fez por nós”, conclui. “O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade”. (Pv 17.17).

Ore pelos nossos amigos muçulmanos, para que sejam nossos irmãos na fé
“Sim, as portas ainda estão abertas. E são as suas orações e apoio que permitem nossas equipes a se manterem de modo a transitarem por estas portas e se levantarem em apoio aos nossos irmãos e irmãs perseguidos!” (Irmão André)

FontePortasAbertas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.