Cristãos russos temem pelas novas regras que serão aplicadas à igreja, impedindo a evangelização e os trabalhos missionários no país

4559613

Um novo projeto de lei, mais conhecido como “lei antiterrorista” preocupa os cristãos que vivem na Rússia ou que realizam trabalhos missionários por lá. Ao assinar o documento redigido pela parlamentar Irina Yarovaya, o presidente Vladimir Putin alega estar “protegendo os cidadãos russos de ações terroristas”. Para a oposição, a decisão do governo está visando muito mais a “vigilância total sobre a nação” do que o reforço da segurança pública. Os críticos também citaram o monitoramento sobre as comunicações, já que está forçando as empresas de internet a armazenar os dados de todos os usuários. Além disso, haverá gravações de ligações telefônicas e mensagens de texto.

Os termos da nova lei que mais atingem os cristãos são os que obrigam os líderes religiosos a possuírem uma autorização até mesmo para o caso de “igrejas domésticas”, que muito em breve serão consideradas ilegais. As atividades da igreja somente poderão ocorrer no interior de edifícios registrados. Muitos líderes protestaram, alertando para a forma como ela atingirá a liberdade religiosa no país, além de promover também o avanço da perseguição aos cristãos. Entre os alertas desses líderes de diversas denominações está a preocupação sobre a obrigatoriedade de uma autorização especial para espalhar crenças, distribuir literaturas ou qualquer tipo de material considerado religioso.

Para a maior parte da liderança cristã, essas exigências trazem de volta um passado vergonhoso e triste que afeta não só a liberdade de religião, mas de expressão e até de reunião. “Essas liberdades estão interligadas e são indivisíveis, ou seja, uma afeta a outra”, disse um deles. A lei também viola o direito constitucional de livre escolha e cria condições para a repressão de todos os cidadãos. Qualquer pessoa que mencionar os seus pontos de vista religiosos ou suas reflexões em voz alta ou até mesmo fizer isso por escrito sem os documentos pertinentes, poderá ser acusada de promover “atividade missionária ilegal” e será submetida às punições cabíveis perante a lei.

O domínio cada vez mais ditatorial do governo russo pode afetar a vida da igreja no país. É praticamente impossível evangelizar sem expor as ideias e os conceitos bíblicos, sendo assim, a evangelização está expressamente proibida e aqueles que seguem o cristianismo vão bater de frente com uma situação bastante delicada. A lei entrará em vigor hoje, 20 de julho de 2016 e a reação de todos aqueles que representam a igreja na Rússia é de total indignação. Lembrando que as regras do governo podem deixar a igreja de mãos atadas no plano físico, mas no espiritual, ela deve orar e esperar pelas providências de Deus. Entre também nessa corrente de oração pela igreja na Rússia.

FonteG1
ViaPortasAbertas
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.