O Reino de Deus é a nossa família

 

Alguns anos atrás, percebi algo que tem me encantado por toda a vida: todas as vezes que Deus falava sobre o Reino de Deus, ele falava sobre família. O Pai Nosso (que nós chamamos de Pai Nosso, mas na verdade é uma oração para discípulos) diz: “Pai nosso que está no Céu, santificado seja o vosso nome…”, termina dizendo: “Pois Teu é o Reino”. O Nosso Pai é dono do Reino.

Em qualquer momento que abandonamos o tema da família, nós também deixamos o tema do Reino, pois o Reino de Deus é uma comunidade de relacionamentos: um grupo de pessoas que aprendem a viver debaixo do domínio de Deus. E o que está dentro desse Reino é maior do que está de fora. Soa contraditório, mas você precisa se lembrar que esse Reino é o Reino em que você vive ao morrer, que você recebe ao dar, você é exaltado ao se humilhar – portanto, da mesma forma, há mais espaço dentro do que fora.

Quando entendemos que essa é uma família de pessoas que creem – que se trata de um componente familiar – somos mais capazes de resistir a tentação de tratar a Igreja como uma corporação, um negócio, uma instituição. Ela é algo muito maior que isso – é família. E as pessoas nessa tribo, nessa família, merecem ser tratadas como filhos e filhas, como mães e pais. Nesse contexto, existe a honra em que cada um tem a chance de dar certo, de ter sucesso. Quando é uma instituição, o contrário acontece: os poderosos se tornam mais poderosos, e os mais fracos se tornam mais fracos. E esse não é o coração de Deus.

O Coração de Deus é para que cada pessoa seja celebrada, valorizada, empoderada, cuidada, honrada, reconhecida, por quem elas são e pelo que Deus está fazendo nelas. É isso que uma família faz.

Em uma família você não tem uma criança de castigo em uma sala enquanto todas as outras pessoas celebram a ceia de natal, esse momento é um momento em que todos estão juntos, pois é isso que uma família faz.

A família inclui cada um. Ela celebra cada um. E essa é verdadeiramente a natureza desse reino. Esse reino é um reino de honra – e na cultura da honra, você pode celebrar quem uma pessoa é sem tropeçar em quem ela não é. E como uma família qualquer, cada pessoa da casa é celebrada. Então assim também deve acontecer no Reino de Deus e no dia a dia da Igreja: que celebremos e honremos a diversidade que Deus nos dá. Existe uma variedade imensa de pessoas.

E esse é o nosso privilégio: O reino de Deus é a nossa família.

por Bill Johnson

Tradução: Igor Paiva

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.