Três atletas cristãs norte-americanas ocuparam o ódio após a prova dos 100 metros com barreira nas Olimpíadas do Rio de Janeiro e revelaram que oraram juntas antes da disputa.

Brianna Rollins, Nia Ali e Kristi Castlin são companheiras de treino, mas disputaram a prova na última quarta-feira, 17 de agosto, como adversárias, e terminaram, respectivamente, nas três primeiras posições, o que conferiu a elas as medalhas de ouro, prata e bronze.

Além de marcar a carreira e a amizade entre elas, essa conquista representa também um feito inédito na história das Olimpíadas, pois nunca antes na história dos jogos modernos três atletas do mesmo país haviam conquistado as três primeiras posições na prova feminina dos 100 metros com barreiras.

De acordo com o relato das atletas, durante a oração que fizeram juntas, elas sentiram a presença de Deus e pediram a Ele que pudessem glorifica-lo com seus desempenho na corrida.

Em entrevista à NBC, a medalhista dourada afirmou que colocou Deus em primeiro lugar na sua vida e carreira, e na hora da disputa, deixou que Ele a guiasse. Em outro depoimento, dado ao Christian Examiner, garantiu que pretende ser “conhecida como a atleta que glorificou a Deus”.

Nia Ali, medalhista prateada, disse que sua conquista era resultado de muito trabalho e dedicação, e assegurou que somente a fé a sustenta: “Tudo que Deus te prometeu já está em seu futuro”, disse, em uma publicação recente no Twitter.

Kristi Castlin, dona da medalha de bronze, reconheceu que chegar às Olimpíadas foi “um caminho difícil”, pois ela deu à luz um menino no ano passado, mas comemorou com o pequeno Tito sua conquista no Rio de Janeiro.

Assista à entrevista:

Mídia incrédula

Vários atletas cristãos têm atribuído suas conquistas à força da fé e à generosidade divina, porém, a mídia especializada nacional e internacional tem se dedicado a ignorar essas declarações.

A repercussão das falas dos atletas sobre sua crença em Deus tem sido feita, basicamente, por portais cristãos, nacionais e internacionais.

Em contrapartida, o japonês Kohei Uchimura, da ginástica artística, ganhador de duas medalhas de ouro, ganhou as manchetes de diversos veículos de imprensa em todo o mundo ao afirmar seu ateísmo: “Não acredito em Deus, nem em lances de sorte; acredito em treinamento”. Imparcialidade, equilíbrio e respeito às liberdades individuais andam em falta na imprensa.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Set your Twitter account name in your settings to use the TwitterBar Section.